Blog

Coaching

Avançar perante a procrastinação

O ser humano tende a não avançar perante a procrastinação por dois motivos:

  1. Porque inconscientemente aquilo que vai fazer não é importante, ou seja, não vê grande mais valia no resultado final. 
  2. Excesso de perfeccionismo. 

Sugestão:

Ao percebermos que estamos a começar a procrastinar o primeiro passo está dado. Ótimo! Ganhamos consciência disso e agora podemos lidar com a situação.

Perante uma situação em que procrastinamos questionar é fundamental para perceber se vale a pena insistir ou não. Às vezes a nossa mente está a dizer-nos que aquilo não é para nós… e é bom ouvir.

Imagine que está a procrastinar com o facto de ter de ir para um trabalho que o drena e o deixa tremendamente infeliz… Antes de se obrigar a ir indefinidamente, questione a razão desse pensamento, porque é que a sua mente está criar essa desmotivação? Porque é que está a pensar em não querer ir…? Talvez seja bom não resistir a um pensamento antes de o questionar.

Para que possamos avançar perante a procrastinação sugiro 4 técnicas:

A – Questionar e escrever porque é que essa ação ou objetivo é importante para nós. Voltando ao exemplo do trabalho, porque é que é importante para nós ir para esse trabalho. O que nos vai proporcionar? O que vamos sentir no final que nos motiva? Qual a nossa intenção ao ir para esse trabalho?

B – Para quem é perfeccionista, ajuda colocar tarefas mais curtas e menos intensas. Por vezes procrastinamos porque queremos que o resultado seja perfeito e ao haver uma pequena hipótese de não ser, evitamos fazer para não sermos julgados, por nós ou pelos outros.

C – Encontrar um partner in crime com quem partilhamos o que queremos e assim aumentamos o nosso compromisso. Às vezes procrastinamos porque, muito embora o resultado final seja algo que queiramos muito, o processo é duro. A mente não gosta do que é duro e desconfortável porque, provavelmente é algo desconhecido, nesse caso a nossa mente vai querer escolher tarefas mais prazeroras, algo que já conhece e confortante. Se o que queremos é mesmo importante, ajuda partilhar com alguém que esteja lá para sentir o orgulho de “trabalho feito” connosco.

Inseguranças nascem do desconhecido, é normal. Podemos procrastinar porque não estamos seguros sobre o resultado final. A boa noticia é que só vamos saber se essas inseguranças têm razão de ser se agirmos. Quem sabe pequenos passos ajudem, em vez de 100% de uma vez, 1% de cada vez.

No final é sobre o que vais sentir/ter/ser depois da tarefa feita.

O que estás a perder por atender às inseguranças?

O que poderás ganhar se agires perante elas?

Open chat